segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Rápidas impressões sobre livros lidos em 2009 [4]

Da Liberdade do Cristão - Sincera Admoestação - Da Autoridade Temporal
Martinho Lutero

Martinho Lutero foi por algum tempo de sua vida professor de filosofia e monge católico. Sua visão de mundo mudou drasticamente quando descobriu as verdades do evangelho, como a justificação concedida gratuitamente por Deus ao homem mediante a fé em Jesus Cristo. Isso o libertou das amarras que o prendiam e fez dele um dos grandes reformadores da história do Cristianismo. A princípio, ainda monge, Lutero buscou a reforma interna da Igreja Católica, escrevendo alguns textos importantes, como as conhecidas 95 teses, afixadas na porta da Catedral de Wittenberg para debates entre os católicos. A fama do texto correu e o conflito teve início, uma vez que a liderança católica o rejeitou.

Em "A Liberdade do Cristão", Martinho Lutero argumenta que o cristão é livre e servo ao mesmo tempo. Segundo o homem interior, totalmente livre, dependendo somente da Palavra de Deus para a sobrevivência. Segundo o homem exterior, servo, porque necessita de submeter seu corpo à disciplina, evitando os excessos da carne, e precisa também de ser para o próximo como Cristo foi para o mesmo cristão. Em favor de si mesmo, livre, em favor do próximo, servo. Assim, o reformador opunha-se à instituição católica em vários sentidos, dentre os quais a idéia de que a igreja poderia vender o perdão, através das indulgências, e conceder assim a salvação do homem ou lavrar a sua condenação. A excomunhão era a forma da segunda. Esse texto continha um caráter pacificador, porque Lutero era ainda monge.

Em "Sincera Admoestação", já separado da Igreja Católica, o líder reformador admoesta os cristãos que se afastassem e evitassem qualquer tipo de revolta, uma vez que enxergava o alcance de suas argumentações. O perigo de um contra-ataque violento por parte da Igreja Católica era iminente, mas Lutero duvidava que houvesse e pregava que o papa deveria ser destruído através da palavra e não da força física. Uma vez que ele fosse desacreditado, estaria vencido. Lutero considera o papa como um servo de Satanás. Esse texto marca uma fase após a ruptura e o reformador não poupa veemência.

Em "Da Autoridade Temporal", Lutero examina quais são os limites da obediência devida ao poder humano e a sua necessidade. Se todos fossem cristãos verdadeiros, vivendo em amor, não haveria necessidade do poder temporal, porque ninguém buscaria o mal do próximo, mas sempre o bem, e todos viveriam em alegre liberdade. Contudo, como muitos não são cristãos, o poder temporal é altamente necessário, porque regula as relações humanas por meio da coerção, impedindo os maus de prejudicarem o próximo. Esse texto é altamente polêmico mesmo entre os cristãos, porque, baseado no trecho bíblico que afirma que todo o poder humano é constituído por Deus para punição dos maus e louvor dos bons, trazendo a espada aos maus, é defendida a pena de morte. O cristão poderia mesmo trabalhar como carrasco caso fosse convocado. A única condição é que ao tirar a vida dos réus ele não o fizesse por vingança ou proveito próprio, mas buscando zelar pela segurança dos que estariam indefesos caso não existisse o poder temporal.

O cão dos Baskervilles
Sir Arthur Conan Doyle

Romance policial de Sherlock Holmes. Texto envolvente e recheado de mistérios, que provoca a dúvida entre o natural e o sobrenatural como fontes do caso investigado. Sr. Holmes é um detetive de um raciocínio lógico-dedutivo incomum, porque de detalhes e de situações simplórias consegue extrair conclusões de extrema importância na resolução dos casos. A estória, narrada pelo dr. Watson, caminha gradualmente para o desfecho, que, é claro, eu não vou contar. O texto prende bastante a atenção, mas merece a importante ressalva de que Conan Doyle coloca nos lábios de Holmes uma curta apologia à reencarnação ao tratar das fisionomias ao longo da história de uma família. Diga-se, a nível de informação, que Conan Doyle era espírita.


Próximas impressões:
- Vieira: sermões / Pe António Vieira
- O estrangeiro / Albert Camus

Impressões [1], [2] e [3].

3 comentários:

Lilian disse...

Olá amigo,

Boas indicações de leitura.

Ando um pouco preguiçosa para ler, por excesso de trabalho, mas, vou procurar pelo livro "Da Autoridade Temporal".

A paz do Senhor!
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

Rouver Júnior disse...

Olá, Lilian!

Os três textos de Lutero são altamente recomendados. São obras curtas e você pode encontrá-las todas juntas numa edição da Escala, sob o título "A Liberdade do Cristão" (Col. Grandes Obras do Pensamento Universal - 83). "Da Autoridade Temporal" é o terceiro texto. O preço está bastante acessível na Estante Virtual.

Abraço fraternal em Cristo!

Lívia disse...

Olá! O cão de Baskerville é ótimo, a leitura é muito agradável e realmente vc não consegue parar de ler até terminar =)
tenho um blog literário, se puder passar por lá www.mundopos.blogspot.com
=)