sábado, 10 de janeiro de 2009

A ciência não sepultou a Bíblia?

Texto: Pierre-Sovann Chauny

Tradução: Rouver Júnior


Neste artigo você entenderá a diferença entre ciência e cientificismo e compreenderá também que aqueles que opõem ciência e Bíblia são vítimas de um grave mal-entendido.

Aqueles que perguntam: "A ciência não sepultou a Bíblia?" afirmam ser necessária a escolha entre os fatos científicos e o imaginário bíblico, sendo impossível acreditar nos dois ao mesmo tempo.

Esse conflito entre a ciência e a Bíblia vem de que, muito freqüentemente, a ciência ultrapassa seus próprios limites: em lugar de permanecer dentro de um método de descoberta da realidade, ela assume uma visão geral da realidade supondo abarcar todas as coisas. Ou, como dizia o matemático britânico Karl Pearson: "O objetivo da ciência é claro: nada menos que interpretar completamente o universo".


I. Pressuposto contra pressuposto.

O pressuposto que muitos cientistas, como Karl Pearson, adotam é "o método científico é o único meio que permite chegar-se à totalidade do saber". Atribui-se aqui à ciência uma autoridade absoluta. Essa concepção da ciência afirma também claramente que não se descobre a verdade se não pelo método empírico. Mas a Bíblia diz que o homem não pode descobrir a verdade última por si mesmo.

É aqui que repousa o conflito fundamental entre certa concepção da ciência, de um lado, e a Bíblia, de outro. O cientificismo pretende que não há nada verdadeiro além do que é observável e verificável, enquanto o cristianismo defende que a verdade suprema não pode ser encontrada a não ser pela revelação divina.


II. O perigo do cientificismo.

Os cristãos aceitam a veracidade dos fatos científicos. O que não aceitam é a interpretação que determinados cientistas dão a esses fatos. Entre os fatos cientificamente estabelecidos e a Bíblia não há nenhum conflito real; mas existe um considerável conflito entre o que a Bíblia diz e certas teorias não provadas (a saber, a Teoria da Evolução, como explicação exaustiva do universo, não é mais que uma teoria). A Bíblia, é verdade, é escrita em uma linguagem que não utiliza a terminologia científica, mas isso não significa que ela seja cientificamente inexata. De fato, alguns dos maiores cientistas da era moderna (tais quais Pascal, Newton, Faraday, Pasteur e tantos outros ainda hoje) criam ou crêem na total veracidade da Bíblia. Pode-se ser um grande cientista sem que, para isso, se acredite que a Bíblia está enterrada.

O conflito entre a ciência e a Bíblia não existe senão quando os cientistas ultrapassam os limites de seu campo de conhecimento, quando saem do que é observável e reproduzível (por exemplo, quando especulam acerca da origem do universo, sobre o valor do indivíduo ou a respeito do destino de nossa espécie). Quando a ciência é utilizada assim, ela na verdade não é mais científica, mas se tornou uma "metalinguagem" (méta-récit), uma explicação global da realidade, um ponto de vista religioso, pois pretende explicar as coisas que não estão sujeitas nem à observação nem à experimentação.


Conclusão:

A questão não é mais tanto "A ciência não sepultou a Bíblia?", mas muito mais "O homem quer realmente se submeter à Palavra de Deus?". A Bíblia descreve os personagens que rejeitam se submeter a Deus como aqueles que "não o glorificaram como Deus" [ver nota do tradutor]. Por isso os homens rejeitaram, a priori, a revelação que Deus nos deu de si mesmo, o que nos parece que a Bíblia não pode ser verdadeira. Dizer que a ciência sepultou a Bíblia é, logo, apenas uma justificativa, uma desculpa para realmente não considerar a possibilidade de que a mensagem da Bíblia possa ser verdadeira.

[Link para o texto em francês, no site Question Suivante: http://www.questionsuivante.fr/science_et_christianisme-10.html]

*No texto traduzido o autor cita "n'ont pas jugé bon de reconnaître Dieu". Como não encontrei na Bíblia a expressão citada exatamente, achei que se pudesse tratar de um trecho da Epístola Aos Romanos 1:21, no qual se diz de pessoas que obstinadamente rejeitaram glorificar a Deus. [N.T.]

4 comentários:

NoticiasdoEvangelho.net disse...

A ciencia não só não sepultou a Bíblia, como tem concordado com a mesma em diversos aspectos. Se a ciencia atual chegasse a "sepultar" a Bíblia, deveria tb sepultar os ensinos de grandes cientistas que além de serem cristãos, usaram a Bíblia como base em seus estudos.

Wellington Leão - www.noticiasdoevangelho.net

Rouver Júnior disse...

Wellington,

obrigado pelo comentário.

É verdade. A ciência feita com honestidade e cujos resultados são verdadeiros sempre vai concordar com a Bíblia.

Fica com Deus.

A paz de Cristo Jesus.

Anônimo disse...

Cher Rouver Júnior,

C'est avec plaisir que je découvre votre blog, même si je ne comprends pas le portuguais... Et effectivement l'expression "n'ont pas jugé bon de reconnaître Dieu" est effectivement une citation de Rom 1.21 dans une traduction française à "équivalent dynamique".

Que Dieu vous bénisse !

Pierre-Sovann Chauny

Rouver Júnior disse...

Pierre-Sovann Chauny,

Que la paix et la grâce du Seigneur Jésus-Christ soit toujours avec vous.

Merci par votre commentaire.

Merci aussi par confirmer que l'extrait cité est vraiment d'Aux Romains 1:21.

J'ai la volonté de soutenir contact avec vous. J'ai dèjá fait d'accès au votre blog Un Aprenti-Pasteur à Paris. J'ai aussi votre prédication en mp3 basée en Luc 15:1-12 dans mon ordinateur.

Restez avec Dieu.

Que Dieu vous benissez aussi.

Restez en prêchant la Parole de Dieu.

Ami,

que la paix du Seigneur Jésus soit toujours avec vous.