quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Missões e inteligência

A inteligência é uma dádiva dada por Deus. Talvez os dias atuais de pós-modernidade formem o quadro mais antiintelectual desde alguns séculos a.C.

Quando Deus concede alguma coisa para alguém, é porque Ele tem algum objetivo. Deus não daria uma ferramenta ao ser humano para que ela ficasse sem uso. As ferramentas enferrujam se não usadas. Assim, a inteligência se embota se não cultivada.

Alguém disse que Cristo quer salvar a alma e a mente. Pois é. Deus não quer seus preciosos filhos com uma ferramenta sem uso.

Penso ser obrigação de todo o cristão buscar crescer intelectualmente, porque Deus deu a inteligência com um objetivo. Amar sem conhecer a quem se ama é ignorância, porque aí se ama alguém imaginário, mas amar conhecendo é amor verdadeiro.

Cristo nos amou sabendo quem nós éramos e Ele nos amou verdadeiramente.

Ora, o lavrador tem a obrigação de cuidar de sua enxada, nós temos a obrigação de cuidar da ferramenta que Deus nos deu: a inteligência.

Ser um intelectual sem amor não adianta, mas viver um sentimentalismo sem conhecimento também não é bom.

Imagine um biólogo cristão que passa seis dias da semana defendendo na academia a teoria da evolução e o naturalismo ateu e no domingo corre à igreja para adorar o Deus da criação.

Imagine o antropólogo cristão, acadêmico defensor do relativismo cultural e moral, que na igreja procura adorar em todos os finais de semana o Deus verdadedeiro e absoluto.

Imagine, por fim, um economista ou político cristão que defende com unhas e dentes o marxismo materialista de Lênin e Marx, o comunismo, o socialismo, e que depois em seu quarto dobra os joelhos para clamar ao Deus imaterial, transcendente, eterno, onisciente, onipotente e onipresente.

O cristão deve anunciar a Verdade em todos os âmbitos: Biologia, Antropologia, Economia, Política, Filosofia, Física, Química, Matemática, Literatura, Lingüística, etc.

E, para fazer isso, é preciso conhecer tais áreas. É necessário que o biólogo pregue o Evangelho na biologia, o filósofo na Filosofia, o literato na Literatura, e assim por diante.

Missões é pregar em ônibus, nas ruas, aos vizinhos, aos amigos, aos colegas de trabalho, aos colegas de estudo; é ir para a África, Ásia, Europa, América, Oceania e até nos pólos e ilhas se necessário, mas é também lutar no âmbito intelectual, desfazendo as teorias falsas que levam a muitos para o inferno.

Eis o que o apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, diz:

"Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas;
destruindo os conselhos e toda altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo,
e estando prontos para vingar toda desobediência, quando for cumprida a vossa obediência." [2Cor 10:4-6]

Devemos destruir com as armas dadas por Deus toda teoria, todo o pensamento, todo o orgulho extremado, que se levantam contra o conhecimento de Deus, que atrapalham as pessoas de chegarem até Deus, que encaminham as pessoas diretamente ao inferno.

Ora, quanta gente morrendo e indo para o inferno porque diz no seu coração "Não há Deus".

Deus é Aquele que faz o néscio morrer e em seu lugar nascer um sábio, mediante o novo nascimento.

Mas como ouvirão se não há quem pregue?

(Rouver Júnior)

2 comentários:

AmpliAÇÃO disse...

Rouver, meu amigo, para Deus inteligência é só instrumento. Para o mundo é tudo. Para Deus pode ser nada. Ele deseja ver o coração quebrantado e humilde para aprender e ser usado. Você é muito bom e muito inteligente. Use sua inteligência com seu coração. deus te aprova, com certeza. Parabéns pelos textos, pelo blog, pela iniciativa.
Abraços.

Rouver Júnior disse...

Obrigado, Adriana, pelo comentário e pelas palavras de incentivo.

Infelizmente, para muitos a razão humana é absolutamente tudo. Por outro lado, é igualmente lamentável que para muitos basta o sentimento.

É necessário crescer intelectual e sentimentalmente. O grande intelectual cristão americano, missionário e pastor, Jonathan Edwards disse que quando você tem luz na sua mente você tem fogo no seu coração.

O salmista coloca em Salmos 119:7 como condição para se louvar a Deus com retidão de coração a aprendizagem dos justos juízos de Deus.

Assim, vê-se a necessidade de se conhecer a palavra de Deus. O conhecimento diz respeito ao inteléctuo.

Para que o coração seja reto perante Deus em louvor, é necessário o conhecimento dos justos juízos de Deus.

Mais uma vez obrigado.

Fica com Deus.

A paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo.